Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Registo 90

Registo da vida a mudar desde 01/01/1990.

Registo da vida a mudar desde 01/01/1990.

Mais sobre mim

foto do autor

Eu nas redes sociais:

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Finanças: 5 erros básicos

1. Não fazer um planeamento;

 

Muitas pessoas não fazem um planeamento dos seus gastos, das suas poupanças, e das despesas fixas que têm todos os meses. Muitas pessoas vivem acima das suas possibilidades porque acham que podem gastar mais do que aquilo que podem. Mas também muitas pessoas vivem todos os dias com medo de gastar qualquer dinheiro, para não gastarem demais.

É muito importante ter um planeamento financeiro. Isso significa saber em que datas deve pagar e o quê, e quais despesas são fixas e quais despesas são temporárias ou esporádicas.

Há várias opções de planeamento: Aplicativos de finanças, folha de excel, ou uma solução mais simples, escrever num papel ou no aplicativo de notas do seu telemóvel das datas, os valores, quais depesas apenas aprecem em alguns meses.

 

2. Não ter poupanças;

 

É muito importante ter poupanças. Todos os dias gastamos dinheiro em coisas completamente irrelevantes. Pode ser um café, um lanche, um enfeite para a casa. No final do mês olhamos para o salário e ficamos sem saber onde gastamos o dinheiro do salário.

Se não pode poupar grandes quantias, separe todos os meses 25 euros, 50 euros ou 100 euros. Cada um sabe o valor que pode por de parte e que não lhe faz falta.

Algumas pessoas que estão a deixar de beber café ou de fumar, podem aplicar aquele valor que antes gastavam em cafés ou tabaco num mealheiro. No fim do mês vai ter uma boa quantia.

Tenha poupanças suficientes para pagar uma renda, caso o seu patrão se atrase ou fique desempregado. Tenha poupança suficiente para um concerto básico do carro caso ele avarie. Tenha poupanças para eventualidades caso fique doente, senão vai ter que utilizar cartões de crédito ou contas ordenado com juros muito altos e que vão afectar as suas finanças durante meses ou anos.

 

3. Usar o cartão de crédito ou contas ordenado;

 

Usar um cartão de crédito ou uma conta ordenado significa utilizar dinheiro que não é teu e que depois vai ter que ser devolvido.

Perguntas têm que ser feitas quando se usa esses plafonts: Eu consigo devolver esse dinheiro que estou a utilizar? Quando? Em quanto tempo?

 

Perguntas têm que ser feitas quando se usa esses plafonts: Eu consigo devolver esse dinheiro que estou a utilizar? Quando? Em quanto tempo?

 

Essas são as modalidade de crédito mais caras. Uma pesquisa aos tarifários dos bancos pode ser assustadora. 

Algumas pessoas ficam deslumbradas com a possibilidade de terem "cashback" de 1% ou 2% do valor utilizado, mas se essas pessoas não pagarem a totalidade do cartão no mês seguinte, vão ter 1% de "cashback" mas terão pago entre 12% a 18% de juros mais 4% imposto de selo sobre o valor do juro, ou seja, ficaram com um prejuízo até 17%. 

O melhor conselho é apenas parcele e utilize no cartão produtos que sejam investimentos relevantes para si e que durem tanto tempo quanto o tempo que você vai pagar. Esses cartões não devem ser utilizados para despesas do dia-a-dia.

 

4. Ativar subscrições de serviços com pouco uso;

 

Hoje em dia, as empresas estão a mudar os seus modelos de negócios para um modelo de subscrição, por exemplo os streamings de música como o Apple Music/Spotify/Google Play, os streamings de vídeo NETFLIX/Amazon Prime/Hulo, os softwares de criação como o Adobe Cloud, Microsoft Office 365, serviços de cloud iCloud ou Google Drive ou jogos.

Isso significa que vai ter uma conta de cartão de crédito mensal grande para suportar todos esses serviços que talvez até nem utilize assim tanto.

Se você não é um utilizador pro desses serviços, pondere alternativas gratuítas ou mais simples: Youtube Music, Google Docs, Youtube, Pixlr, LibreOffice, armazenar as suas fotos num disco rígido ou num serviço gratuito como o Google Fotos.

 

Pondere alternativas gratuítas ou mais simples: Youtube Music, Google Docs, Youtube, Pixlr, LibreOffice, armazenar as suas fotos num disco rígido ou num serviço gratuito como o Google Fotos.

 

5. Não ter atenção às datas de pagamento de despesas;

 

É muito importante ter atenção à data do débito direto das despesas mensais fixas ou à data limite de pagamento da fatura,

 

É muito importante ter atenção à data do débito direto das despesas mensais fixas ou à data limite de pagamento da fatura, porque vários operadores cobram uma taxas de devolução do débito ou do atraso que pode ir de 5 euros a 25 euros, ou pode até ficar sem o serviço, ou seja, sem água, sem eletricidade, ou sem internet.

Atenção que além de cobrarem taxas e juros do atraso algumas empresas cobram o serviço de reinstalação do serviço, pelo que o atraso no pagamento pode acabar por se tornar uma despesas 20 vezes maior.

 

Minimalismo: Como não desperdiçar o desapego?

Muitas publicações sobre minimalismo incentivam as pessoas a livrar-se daquilo que lhes causa transtorno, ansiedade, daquilo que não lhes permite seguir em frente ou estar feliz.

 

No entanto, tornar-se minimalista é uma jornada de conversão. Não é uma mudança automática e repentina. 

 

Todos temos roupas que não usamos, mas que vamos fazer com elas? Vamos doar? Mas você era capaz de doar aquela blusa que está demasiado usada e que já foi lavada muitas vezes? Talvez não. E se essa blusa muito usada não estivesse assim tão usada que merecesse ir para o lixo? Talvez corta-la em quadrados e fazer um novo pano de limpeza com ela? Mas quantos panos de limpeza você precisa efetivamente? Afinal você é um recém-nascido minimalista que quer ter apenas aquilo que lhe trás felicidade e que quer livrar-se de toda a trabalha que lhe cria ansiedade e que não lhe acrescenta!  

 

Maria Kondo diria para segurar no recém criado pano e perguntar-se: "Isso trás-me felicidade?". Um pano pode trazer-lhe a felicidade de ter uma casa limpa, de ser um bom pano, de ser o melhor pano para limpar os seus móveis, mas quantos panos você precisa realmente?

 

Algo que eu descobri na minha jornada para me tornar um minimalista e me livrar de vários pesos na minha vida foi que essa é uma mudança progressiva. Vários itens eu ofereci pelo Natal a pessoas da minha família ou amigos, alguns itens eu doei para o bazar da caridade, alguns itens de facto foram para o lixo.

 

No entanto, vários itens que não estão bons suficientes para serem ofertas, nem para a caridade, mas que não estão maus suficientes para irem para o lixo foram separados. Separei também itens que vão ser úteis. Tenhos uma coleção de 10 after-shaves que me fazem falta. Não todos em simultâneo, mas deitá-los fora, seria um desperdício, e dá-los seria desperdiçar um recurso que mais tarde eu vou ter que comprar a determinada altura, por exemplo.

 

Durante os próximos 6 meses e até ao fim do Verão eu tenho um conjunto de itens que são os únicos que eu utilizo e que vou utilizar até acabarem ou estarem em tal estado que mereçam ir para o lixo.

 

Outra coisa importante é que nessa jornada em que nos livramos de muitos itens devemos livrarmo-nos deles da forma apropriada, tentanto reutilizar e reciclar antes de reduzir.

 

Seja responsável na sua jornada minimalista.

Mais sobre mim

foto do autor

Eu nas redes sociais:

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.